Dezembro Laranja – Câncer de pele

Como surgiu o Dezembro Laranja, mês de conscientização sobre o câncer de pele?

Criada em 2014, pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, a campanha Dezembro Laranja tem o objetivo de conscientizar e prevenir o câncer de pele, tipo tumor com maior incidência no Brasil.

Em um país tropical como o Brasil, que possui uma alta incidência solar durante todo o ano, é mais comum a existência do câncer de pele, principalmente, devido à falta de cuidados diários com a pele já que grande parte da população não tem o hábito de usar filtro solar.

Câncer de pele no Brasil

Número de mortes

2 mil
pessoas morrem anualmente de câncer de pele não melanoma

Novos casos estimados

176 mil
novos casos em 2020 segundo o Inca

Faixa etária

40 anos
Mais comum em pessoas com mais de 40 anos

Existem dois tipos de câncer de pele:

Melanoma
Esse tipo de câncer é mais comum em adultos de pele clara, e aparece em regiões do corpo mais expostas à radiação solar. O melanoma é caracterizado pelo surgimento de pintas, manchas e outros sinais, representando somente 3% das neoplasias malignas.

Como os outros tipos de câncer, quando tratado no início (em camadas superficiais), as chances de cura são boas. Porém, em um estágio avançado, a lesão se torna mais profunda, podendo acometer outros órgãos, o que chamamos de metástase.

Não melanoma
Quando diagnosticado de forma precoce, esse tipo de câncer tem grandes chances de cura. A doença é caracterizada por dois tipos de tumores: carcinoma basocelular e carcinoma epidermóide.

Carcinoma basocelular: tipo mais frequente de câncer de pele, que atinge as camadas profundas da pele. Possui baixa mortalidade e pode aparecer em qualquer parte do corpo, sendo mais comum se desenvolver no rosto, lóbulo da orelha e no nariz. Caracteriza-se por uma lesão (ferida ou nódulo).

Carcinoma espinocelular: é o segundo tipo mais frequente e atinge as camadas superiores da pele. Surge como uma ferida ou cicatriz. Pode se desenvolver em qualquer área, preferencialmente aquelas expostas com frequência ao sol. Mesmo tendo baixa letalidade, pode deixar marcas estéticas.

  • Histórico familiar ou pessoal da doença;
  • Exposição prolongada e repetida ao sol (raios ultravioletas – UV), principalmente na infância e adolescência;
  • Uso prolongado de câmeras de bronzeamento artificial;
  • Ter pele e olhos claros, com cabelos ruivos ou loiros, ou ser albino;
  • Em pessoas de pele negra, é mais comum nas áreas claras, como palmas das mãos e plantas dos pés.

O melanoma pode surgir em formato de pinta escura com bordas irregulares, acompanhadas de coceira e descamação ou como lesão pigmentada.

Em casos de uma lesão pigmentada pré-existente ocorre aumento no tamanho, alteração na coloração e no formato da lesão, que passa a apresentar bordas irregulares.

  • Evitar a exposição ao sol no horário das 10h às 16h;
  • Em dias quentes, procure lugares com sombra e use proteção adequada como bonés ou chapéus de abas largas;
  • Use óculos escuros com proteção UV;
  • Antes de se expor ao sol, aplique filtro solar com fator de proteção correto para a sua pele. Use um filtro próprio para os lábios também.

A campanha do “Dezembro Laranja” chama a atenção para a importância do diagnóstico precoce já que os tumores encontrados na fase inicial, possuem maiores chance de tratamento e de cura.

O diagnóstico é feito pelo dermatologista, por meio de exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos em pessoas com sinais ou sintomas sugestivos, assim como em exames periódicos em pessoas que são de grupos de risco para desenvolver a doença.

Dermatoscopia: exame realizado através de um aparelho que visualiza as camadas da pele não vistas a olho nu;
Biópsia: exame recomendado para confirmar o diagnóstico de câncer de pele.

  • Medicamentos tópicos e orais
  • Quimioterapia
  • Imunoterapia
  • Radioterapia
  • Cirurgias como excisional, criocirurgia, curetagem e eletrosisseção, cirurgia micrográfica de Mohs, cirurgia a laser e terapia fotodinâmica

Atenção! Os exames para o diagnóstico e tratamento do câncer de pele no Grupo Leforte podem ser realizados nas unidades da Liberdade, Morumbi, Santo André e Alphaville, assim como nas unidades avançadas Oncologia Leforte, situadas em Higienópolis, Alphaville e Osasco.

Unidades do Grupo Leforte para diagnóstico e tratamento do câncer de pele

Clínica e Diagnósticos Christóvão da Gama Santo André

Rua Guilherme Marconi, 440, Santo André
Call center: (11) 4993-3773

Clínica e Diagnósticos Leforte Morumbi

Rua dos Três Irmãos, 62
Call center: (11) 3345 - 2288

Clínica e Diagnósticos Leforte Liberdade

Rua da Glória, 676 – Liberdade
Call center: (11) 3345 - 2288

Testemunhos

Gostaríamos de agradecer ao Dr Pierry Louys Batista, em nome de todos os pediatras, toda equipe assistencial, de atendimento, segurança, higiene e do laboratório Delboni, pois percebemos que houve a verdadeira hospitalidade que todos falam, mas poucos exercem: a de fora dos livros.

Gustavo Ambrósio Tenório

Equipe de enfermagem muito bem preparada, atenta e disponível para qualquer chamado. Muito educada e cordial também, por exemplo, sempre ao entrar no quarto os enfermeiros avisavam meu pai que a luz seria acesa, não acendendo diretamente na “cara” da pessoa, que estava despreparada.

Antônio Rafael de Carvalho