Câncer de mama triplo-negativo representa 15% dos diagnósticos da doença.

A variação tende a ser mais agressiva e requer diagnóstico precoce para aumentar as chances de cura

O triplo-negativo é uma das variações mais agressivas do câncer de mama e responde por 15% dos diagnósticos realizados no País. São quase 10 mil casos por ano desse tipo de tumor, sendo a maioria com evolução rápida e em mulheres jovens, na faixa dos 40 anos.

Para que a paciente tenha mais chances de cura, é preciso diagnosticar precocemente a doença. “O principal exame é a mamografia, que possui indicação a partir dos 35 anos”, alerta o Dr. Silvio Kurbet, mastologista do Grupo Leforte.

Após o diagnóstico, é preciso fazer uma punção do tumor para análise imuno-histoquímica do tecido. Esse exame identificará o tipo da doença. Configura triplo-negativo o tumor sem três receptores típicos do câncer de mama – HER2, estrogênio e progesterona.
“O tratamento mais indicado é a cirurgia, que já pode ser realizada com a reconstrução da mama. Assim, a paciente deixa a sala de cirurgia sem as indesejadas deformidades”, conta o Dr. Kurbet. Além da cirurgia, utiliza-se a quimioterapia (terapia alvo) e, eventualmente, há indicação para uso da radioterapia.

A chance de cura é alta quando o procedimento é realizado no estágio mais inicial da doença. “Um exame de Pet-Scan, que faz o rastreamento de todo o corpo em busca de novos tumores, pode ser útil após a cirurgia, para identificar casos de metástase”, ressalta o especialista.

 

Impacto da pandemia

Com a pandemia do novo coronavírus, houve queda expressiva dos exames de mamografia em todo o País. Por conta disso, a comunidade médica teme uma redução dos diagnósticos precoces do câncer de mama e, consequentemente, uma diminuição da chance de cura dos tratamentos.
“É fundamental reforçar a necessidade da mamografia. No Leforte, adotamos todas as medidas para que esse exame seja realizado com segurança”, garante o mastologista.
O exame deve ser realizado anualmente após os 40 anos de idade, segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia, sendo indicado fazê-lo ao menos uma vez entre 35 e 40 anos. Apesar disso, é recomendado que cada caso seja avaliado individualmente, o que reforça a importância de check-up regular e acompanhamento médico.

 

Dr. Silvio Kurbet é mastologista, ginecologista e obstetra, atende nas Clínicas e Diagnósticos Leforte Liberdade e Morumbi. Veja os horários abaixo.

Locais e horários de atendimento
Clínica e Diagnósticos Leforte Liberdade
Rua da Glória, 676 – Liberdade
Segunda-feira: 10h30 às 14h
Quinta-feira: 13h às 15h

Clínica e Diagnósticos Leforte Morumbi
Rua Três Irmão, 62 – Morumbi
Quarta-feira: 9h às 12h
Agendamento: (11) 98010-3000

Este conteúdo é meramente informativo e educativo, sendo destinado para o público em geral. Ele não substitui a consulta e o aconselhamento com o médico e não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação. Se você tiver algum problema de saúde ou dúvidas a respeito, consulte um médico. Somente ele está habilitado fazer o diagnóstico, a prescrever o tratamento mais adequado para cada caso e acompanhar a evolução do quadro de saúde do paciente.
Testemunhos

Gostaríamos de agradecer ao Dr Pierry Louys Batista, em nome de todos os pediatras, toda equipe assistencial, de atendimento, segurança, higiene e do laboratório Delboni, pois percebemos que houve a verdadeira hospitalidade que todos falam, mas poucos exercem: a de fora dos livros.

Gustavo Ambrósio Tenório

Equipe de enfermagem muito bem preparada, atenta e disponível para qualquer chamado. Muito educada e cordial também, por exemplo, sempre ao entrar no quarto os enfermeiros avisavam meu pai que a luz seria acesa, não acendendo diretamente na “cara” da pessoa, que estava despreparada.

Antônio Rafael de Carvalho
banner