Grupo Leforte discute atendimento multiprofissional em workshop de Nutrição

A 11ª edição do evento será realizada no dia 5 de março no Hospital e Maternidade Christóvão da Gama, em Santo André

O Grupo Leforte, por meio de seu Instituto de Ensino e Pesquisa, organizará no dia 5 de março a 11ª edição de seus Workshop de Nutrição. Na pauta do evento, a importância de um diálogo multiprofissional como peça chave da recuperação de pacientes.

As atividades são voltadas para profissionais que atuem em equipes multidisciplinares, nutricionistas, nutrólogos, enfermeiros, fonoaudiólogos e fisioterapeutas. O 11º Workshop de Nutrição será realizado no auditório do Hospital e Maternidade Christóvão da Gama, localizado na Rua Guilherme Marconi, 540, em Santo André. A taxa de inscrição é de R$ 40. Mais informações pelo telefone (11) 3345-2219/2265 ou pelo e-mail [email protected].

 

Programação:

13h – ABERTURA
13h30 – Papel do fonoaudiólogo na recuperação do paciente
José Ribamar Junior – Hospital Leforte
14h – Quais as ferramentas que podem ser utilizadas para manter e/ou recuperar o estado nutricional do paciente
Bruna Carolina Barbosa – Hospital e Maternidade Christovão da Gama – Grupo Leforte
14h30 – INTERVALO
15h – A importância da orientação nutricional na alta hospitalar
Patrícia Ramos – Hospital Leforte
15h30 – Como garantir uma manutenção/recuperação do estado nutricional do paciente em Terapia Parenteral exclusiva
Dr. José Caliani – Hospital e Maternidade Christovão da Gama – Grupo Leforte

Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro do que acontece no Leforte

Testemunhos

Gostaríamos de agradecer ao Dr Pierry Louys Batista, em nome de todos os pediatras, toda equipe assistencial, de atendimento, segurança, higiene e do laboratório Delboni, pois percebemos que houve a verdadeira hospitalidade que todos falam, mas poucos exercem: a de fora dos livros.

Gustavo Ambrósio Tenório

Equipe de enfermagem muito bem preparada, atenta e disponível para qualquer chamado. Muito educada e cordial também, por exemplo, sempre ao entrar no quarto os enfermeiros avisavam meu pai que a luz seria acesa, não acendendo diretamente na “cara” da pessoa, que estava despreparada.

Antônio Rafael de Carvalho
banner