Dia Mundial da Saúde: muito a se destacar

Mesmo no momento que estamos passando com a Covid-19, há muito a se destacar neste Dia Mundial da Saúde. A data praticamente coincide com o período de um ano de pandemia, que trouxe tantas mortes e impactou tão severamente a rotina de todos. Afinal, é preciso lembrar das milhões de pessoas que foram e estão sendo salvas todos os dias.

Apenas no Brasil, até ontem, contabilizávamos 336.947 óbitos, segundo dados do Ministério da Saúde. É uma realidade difícil de lidar, seja para os familiares dessas vítimas, seja para os profissionais que, assim como eu, sempre trabalharam com equipes dedicadas a entregar a melhor assistência em saúde. Como resultado, até ontem também foi contabilizado o número de 20.828.398 pessoas que receberam a primeira dose da vacina.

Por isso que, mesmo diante do cenário que estamos vivendo, acredito que a valorização da data é fundamental. Apesar de todos os desafios – o desconhecido, indefinições de toda ordem, a falta de insumos, a ocupação total de leitos – temos, sim, avanços importantes que são resultado de um trabalho incansável feito por pesquisadores e profissionais de saúde do Brasil e do mundo.

Há pouco mais de um ano, uma rede de cooperação vem proporcionando avanços no tratamento e novas opções de vacina com o objetivo de amenizar o sofrimento humano que presenciamos ao redor do mundo. Temos, inclusive, uma potencial “versão brasileira”, produzida pelo Instituto Butantan a partir de tecnologia desenvolvida no exterior.

O Centro de Estudos do Grupo Leforte também tem avançado nesse campo. Atualmente, dos 55 estudos clínicos em andamento em nossas três unidades hospitalares, pelo menos 14 deles estão relacionados diretamente à pesquisa com novas drogas ou terapias voltadas a pacientes de Covid-19 de grau leve a severo.

A saúde sempre foi uma das áreas de maior preocupação das pessoas. E o setor, aqui incluídos profissionais de linha de frente, administrativos e gestores, vem respondendo com empenho redobrado a este momento extremamente crítico.

Por isso, hoje é dia de celebrarmos essa dedicação e coragem. De dar os parabéns a quem, mais do que nunca, vem arriscando a própria vida para salvar as de milhões de pessoas.

P.S.: por uma feliz coincidência, hoje também é o Dia do Jornalista. Informação de qualidade tem sido uma ferramenta fundamental para combater a mentira e o negacionismo durante a pandemia. Por isso, vão também os meus cumprimentos a esses profissionais tão importantes para a difusão de notícias verdadeiras, que valorizam a saúde e agem em favor da sociedade.

Este conteúdo é meramente informativo e educativo, sendo destinado para o público em geral. Ele não substitui a consulta e o aconselhamento com o médico e não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação. Se você tiver algum problema de saúde ou dúvidas a respeito, consulte um médico. Somente ele está habilitado fazer o diagnóstico, a prescrever o tratamento mais adequado para cada caso e acompanhar a evolução do quadro de saúde do paciente.
Testemunhos

Gostaríamos de agradecer ao Dr Pierry Louys Batista, em nome de todos os pediatras, toda equipe assistencial, de atendimento, segurança, higiene e do laboratório Delboni, pois percebemos que houve a verdadeira hospitalidade que todos falam, mas poucos exercem: a de fora dos livros.

Gustavo Ambrósio Tenório

Equipe de enfermagem muito bem preparada, atenta e disponível para qualquer chamado. Muito educada e cordial também, por exemplo, sempre ao entrar no quarto os enfermeiros avisavam meu pai que a luz seria acesa, não acendendo diretamente na “cara” da pessoa, que estava despreparada.

Antônio Rafael de Carvalho
banner