Exercícios físicos durante a pandemia: como e por que manter o corpo em movimento de forma segura

Dores na lombar, tensão no pescoço, torcicolos e tendinite são consequências comuns às pessoas que têm trabalhado em home office durante a pandemia e entre aqueles que passam muito tempo sentados em frente às telas. A falta de exercícios físicos, além de contribuir para o agravamento de doenças crônicas, ajuda a desenvolver dores em quem está em isolamento social.

Para falar sobre isso e explicar como fazer exercícios de forma segura e evitar dores, conversamos com o Dr. Luiz Fernando Sales, chefe da equipe de ortopedia e traumatologia do Hospital Leforte Morumbi.

 

O que a falta de exercícios físicos nesses tempos de isolamento social, motivado pela pandemia, pode impactar em seu ponto de vista? Quais grupos de pessoas são mais afetados?

DR. LUIZ FERNANDO SALES – O sedentarismo é um dos maiores problemas de saúde das últimas décadas. Durante a pandemia observamos uma parada ainda maior da prática esportiva, seja pelo fechamento das academias, áreas de esporte e convívio, seja pelo medo que as pessoas adquiriram de frequentar tais locais.

Do ponto de vista ortopédico observamos uma piora das doenças crônicas, com a volta de dores agudas em pacientes que estavam bem. Também foi observado o surgimento de novas dores relacionadas ao maior período sentado e em repouso, muitas vezes com má postura; e doenças por esforço repetitivo devido à maior carga de trabalho e à falta da postura correta para o trabalho em home office.

Por outro lado, observamos uma queda importante das lesões traumáticas, em especial as esportivas e por acidente de trânsito.

 

Desde o início da pandemia, muitas pessoas estão trabalhando em home office. Por isso, passam muito tempo sentadas, sem o deslocamento habitual pela cidade. Você recebeu pacientes com queixas relacionadas a esse novo hábito?

DR. LUIZ FERNANDO SALES – As queixas de dor lombar aumentaram bastante nesse período. Elas estão associadas ao maior tempo em posição sentada, sem postura correta e à falta de intervalos para descanso, observadas no home office.

 

EXERCÍCIOS FÍSICOS DURANTE A PANDEMIA – Há alguma orientação para aliviar possíveis dores decorrentes do hábito de passar muito tempo sentado em frente ao computador e à televisão?

DR. LUIZ FERNANDO SALES – Inicialmente, corrigir a postura e a posição dos móveis e equipamentos utilizados. O hábito que muitos desenvolveram de trabalhar no sofá ou na cama deve ser evitado. Elevar a tela do computador para que o centro da tela fique em linha com os olhos, evitando a flexão exagerada do pescoço, diminui muito a chance de desenvolver dores no pescoço, contraturas musculares e torcicolos.

O uso de teclado e mouse corretamente posicionados, facilitando que todo o antebraço fique apoiado na mesa e que os punhos não precisem ficar em extensão, também previne as dores nos braços e punhos, além das lesões por esforço repetitivo e tendinites. É importante ter períodos de repouso para se levantar, caminhar pelos cômodos em casa, fazer alongamentos e descansar. Isso tudo ajuda a prevenir o surgimento e piora das dores.

 

Quais orientações você daria para a prática segura de exercícios físicos dentro de casa durante esse momento de isolamento social?

DR. LUIZ FERNANDO SALES – Primeiramente, conheça e respeite seu corpo e seus limites. Dor e desconforto durante o exercício são alertas de que algo pode estar errado. Procure a ajuda de especialistas. Hoje temos acesso a bons professores de educação física pelas redes sociais e aplicativos da internet.

Manter a concentração durante a execução das atividades e foco na prática correta ajuda a evitar lesões. Alongamento e aquecimento são fundamentais para preparar seus músculos e ajudá-los na recuperação após a atividade física. Para os iniciantes, comece com calma. O bom resultado final precisa de consistência, tempo e afinco, não surgirá de um dia para outro. A pressa leva a erros e os erros geram lesões e dores.

Crie uma agenda que o ajude a se programar para fazer a atividade física com consistência. Em caso de dor, suspenda imediatamente o exercício. Na persistência da dor, procure por ajuda e atendimento médico com um ortopedista de confiança. Evite o uso de medicamentos por conta própria e a manutenção da atividade física com dor.

 

Para as pessoas que pensam em retomar ou começar os exercícios físicos em academias, quando se sentirem seguras, quais cuidados devem tomar no retorno para evitar lesões?

DR. LUIZ FERNANDO SALES – Ter calma. O retorno aos exercícios físicos, após um tempo parado, requer paciência e aumento gradual do nível de esforço. Retornar acreditando que conseguirá realizar os mesmos exercícios que fazia antes é um erro. Inicie com cargas menores, faça alongamentos e atividade aeróbica, buscando sempre a execução correta do exercício. Assim, gradualmente, a sua memória muscular será reativada e não haverá lesões no retorno à prática esportiva.

Mais uma vez, respeite seu corpo: dor durante a execução, dor persistente após a parada da atividade e/ou em repouso e cansaço exagerado são sinais de alerta. Atividade física deve ser prazerosa, não uma tortura.

 

 

 

O Dr. Luiz Fernando Sales é ortopedista, traumatologista do esporte e especialista em cirurgia do joelho. É chefe da equipe de ortopedia e traumatologia do Hospital Leforte Morumbi. Atende na Clínica e Diagnósticos Leforte Morumbi às segundas e quintas-feiras, das 8h às 11h30.

 

 

 

Agende consulta com especialista em ortopedia

 

Conteúdos relacionados no site do Grupo Leforte

Este conteúdo é meramente informativo e educativo, sendo destinado para o público em geral. Ele não substitui a consulta e o aconselhamento com o médico e não deve ser utilizado para autodiagnóstico ou automedicação. Se você tiver algum problema de saúde ou dúvidas a respeito, consulte um médico. Somente ele está habilitado fazer o diagnóstico, a prescrever o tratamento mais adequado para cada caso e acompanhar a evolução do quadro de saúde do paciente.
Testemunhos

Gostaríamos de agradecer ao Dr Pierry Louys Batista, em nome de todos os pediatras, toda equipe assistencial, de atendimento, segurança, higiene e do laboratório Delboni, pois percebemos que houve a verdadeira hospitalidade que todos falam, mas poucos exercem: a de fora dos livros.

Gustavo Ambrósio Tenório

Equipe de enfermagem muito bem preparada, atenta e disponível para qualquer chamado. Muito educada e cordial também, por exemplo, sempre ao entrar no quarto os enfermeiros avisavam meu pai que a luz seria acesa, não acendendo diretamente na “cara” da pessoa, que estava despreparada.

Antônio Rafael de Carvalho
banner